Crea-MS e Iagro firmam convênio para desenvolvimento de sistema integrado de emissão de receitas e controle do uso de agrotóxicos

O Conselho Regional de Engenharia e a Agronomia de Mato Grosso do Sul (Crea-MS) e a Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) firmaram na tarde da última quinta-feira (7), um termo de cooperação técnica para o desenvolvimento de um sistema eletrônico que permitirá maior controle da comercialização e uso de agrotóxicos nas lavouras do Estado.

O sistema,  além de emitir e monitorar as receitas agronômicas, contará com cadastro de agrotóxicos, de profissionais habilitados a prescrevê-los,  de revendas autorizadas a comercializar os produtos e de centrais de recebimento de embalagens vazias de agrotóxicos.

Dirson Freitag, presidente do Crea-MS, explicou que a implantação do sistema permitirá traçar um raio X da utilização e venda de agrotóxicos. “A iniciativa pretende combater o descontrole na comercialização e coibir o uso abusivo de produtos nas lavouras sul-mato-grossenses e, o mais importante, garantir alimentos seguros à sociedade. Atualmente, os profissionais habilitados a emitir receituário agronômico têm acesso aos formulários em papel ou pela internet que serão substituídos pela nova ferramenta, que dará maior agilidade ao serviço e permitirá um amplo controle na fiscalização das atividades dos profissionais, que é a função primordial do Crea-MS”.

De acordo com o presidente da Iagro, que é quem está à frente do desenvolvimento do sistema, Luciano Chiochetta, a parceria é parte das ações que integram o planejamento para melhoria da gestão do sistema de defesa agropecuária. “A sistematização possibilitará mais agilidade no controle de cadastro de agrotóxicos e também uma melhor fiscalização no campo, já que será possível consultar nossos cadastros em qualquer lugar. Ao mesmo tempo será possível verificar a existência de receituário, o que conferirá além de agilidade, garantia ao produtor e à sociedade que serão beneficiados com este maior controle”, explicou Chiochetta.

Em fase de cadastramento de dados, o sistema deve estar em funcionamento em um ano. No Estado, atualmente cerca de 1.500 agrotóxicos possuem registro e, portanto são permitidos para aplicação nas lavouras. O novo sistema vai controlar o uso de produtos não autorizados para determinadas culturas no Estado e também a venda em volume muito acima da área cultivada.

 

Fonte: Crea-MS

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.