Crea, Corpo de Bombeiros e ABEE buscam parceria em fiscalização

A Diretoria de Atividades Técnicas do Corpo de Bombeiros foi o local escolhido para a reunião entre o Corpo de Bombeiros, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) e a Associação Brasileira de Engenheiros Eletricistas – Seção Paraíba (ABEE-PB). O objetivo é integrar as instituições e realizar fiscalizações conjuntas em edificações e eventos com grande aglomeração de pessoas.

Uma das ações a serem realizadas, segundo o presidente da Abee-PB e conselheiro do Crea-PB, Martinho Nobre, é ainda a revisão de normas e procedimentos de fiscalização em vigor e a criação de um Grupo de Trabalho com calendário de reuniões, que possa auxiliar o Corpo de Bombeiros em suas vistorias, ampliando o campo de trabalho para os engenheiros eletricistas.

Coordenador da Câmara Especializada de Engenharia Elétrica do Crea-PB, o engenheiro Luiz Carlos de Oliveira espera que este ano a Câmara possa dar uma maior contribuição aos órgãos de fiscalização do setor, intensificando as tradicionais inspeções com visão mais técnica, e avaliando as inovações contempladas nas Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e da ABNT, de modo a prevenir a ocorrência de incêndios e outros acidentes que colocam em risco a segurança da população.

De acordo com o Capitão Marcone Osório, oficial do Corpo de Bombeiros, os projetos de engenharia elétrica são um foco neste momento porque os peritos identificam que grande parte dos incêndios são fruto de sobrecargas da rede elétrica. Por isso, durante as vistorias, o Corpo de Bombeiros quer solicitar as ARTs (Anotações de Responsabilidade Técnica) dos projetos elétricos. O documento é emitido por profissionais legalmente habilitados junto ao Crea e é quesito obrigatório para a regularidade de obras e serviços de engenharia.

Quem também participou da reunião foi o engenheiro eletricista Antônio Dália, que representou o Crea-PB, e os membros do Corpo de Bombeiros: Major Hugo Silva, Capitã Conceição Alves, 2ª Tenente Elinaura Brasil e o Cabo Leomax de França.

 

Fonte: Crea-PB

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.