Agentes fiscais participam de palestra sobre irregularidades em ligações de água

 

Ação é parte integrante de convênio entre Conselho e Águas Guariroba
 

A equipe de fiscalização do Crea-MS  participou na segunda-feira (4) de uma palestra sobre as principais irregularidades nas ligações de água praticadas em Campo Grande. O assunto foi apresentado pela gestora de Recuperação de Perdas da Águas Guariroba, Suellen Alves Ferreira. 

A ação faz parte de um convênio firmado entre o conselho e a concessionária responsável pelos serviços de água e esgoto da Capital, a Águas Guariroba, para o intercâmbio de informações. A parceria visa colaborar com a fiscalização de obras e serviços nas áreas da Engenharia e da Agronomia realizadas na Capital e garantir que os novos empreendimentos sejam realizados por profissionais devidamente registrados no Conselho e, que também, os serviços de saneamento sejam utilizados de forma correta. 

Na palestra foram mostrados exemplos de diversos tipos de irregularidades praticadas para fraudar o consumo de água – desde intervenções nos hidrômetros até ligações clandestinas, com tubulações instaladas direto da rede de abastecimento de água para o imóvel. “Além de furto, essas ligações oferecem um risco de contaminação muito grande porque  são feitas sem nenhum tipo de cuidado, com qualquer material,  e normalmente causam vazamentos”, afirma Suellen Alves Ferreira. 

Atualmente, a Águas Guariroba mantém 27 equipes permanentes atuando na fiscalização de irregularidades nas ligações de água. Isso porque as fraudes contribuem para aumentar as perdas no sistema de abastecimento de água. Neste quesito, Campo Grande é referência: o índice de perdas foi reduzido de 56% (2006) para cerca de 19% (2015), um dos menores entre as capitais. A média nacional chega a 36%.

O agente de fiscalização Anderson da Silva explica que com as informações recebidas na palestra pode compreender quais as irregularidades nas ligações de água nas construções. “Muitas situações mostradas aqui a gente não sabia que eram irregularidades. Agora visualmente poderemos identificar esses casos”, conta. 

Segundo o engenheiro Árinson Todescato Menezes, assessor de relacionamento do Crea-MS, a fiscalização realizada pelo Conselho, na medida em que coíbe a atuação de leigos à frente de obras e serviços das áreas da engenharia e agronomia, tem como objetivo promover a segurança da sociedade. “As informações apresentadas na palestra são de fundamental importância para o desenvolvimento do convênio firmado entre Conselho e a concessionária, pontuou”.

 

Fonte: Crea-MS

Foto: Janine Gonzalez de Paula / Crea-MS

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.