Vereadores aprovam proposta do CREA-AM para o Plano de Mobilidade Urbana de Manaus

A votação foi realizada no dia 21 e encerrou os trabalhos de 2015 na CMM. Além da proposta do CREA-AM, a outra aprovada foi do geógrafo Marcos Castro Lima, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), que também faz parte do Sistema Confea/CREA.

Das quatro propostas técnicas elaboradas pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Amazonas (CREA-AM) para integrar as emendas ao Plano de Mobilidade Urbana da cidade de Manaus (PlanMob), os vereadores aprovaram uma, de forma unânime, durante a votação do Projeto de Lei nº 374/2015, que institui o plano na capital amazonense, realizada no dia 21 deste mês.

No total, 92 emendas foram apresentadas, 67 pelos vereadores e 25 da sociedade civil organizada, de acordo com a Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Manaus (CMM). Os parlamentares aprovaram 21.

O CREA-AM propôs a criação de um grande complexo viário sem retenções semafóricas, por meio de um prolongamento, por elevado, da rua Cel. Cyrillo Neves até o entroncamento com as avenidas São Jorge, Jorge Teixeira, Pedro Teixeira, e ruas Jacyra Reis, do Ipase, Via Arterial Norte e Via Arterial Sul. 

O diretor administrativo do CREA-AM, Marco Aurélio de Mendonça, o segundo da dir. para esq.

“Essa solução técnica permitirá que todas essas vias tenham acesso à Ponte Rio Negro (Zona Oeste) de forma direta e também dela recebam tráfego em vias coletoras preparadas para esse fim”, explicou o diretor administrativo do CREA-AM, engenheiro civil Marco Aurélio de Mendonça, que representou o Conselho nos debates do Plano de Mobilidade na Câmara e coordenou os trabalhos de análise do projeto e elaboração das propostas técnicas da autarquia federal. “O CREA-AM teve importante participação em todas as audiências públicas de discussão do PlanMob, prova disso foi a aceitação de uma das emendas por unanimidade”, acrescentou.

No início do ano, os municípios brasileiros com mais de 20 mil habitantes tinham um prazo-limite para aprovar o Plano de Mobilidade Urbana, determinado pela Lei Federal nº 12.587/12. Caso não o fizessem, poderiam perder recursos federais se a União decidisse usar a implementação do plano como critério para liberação de verbas. Manaus já tinha realizado estudos sobre a mobilidade, mas o tema só começou a ser discutido neste segundo semestre do ano na Câmara Municipal quando, no mês de novembro, o projeto final do Executivo foi apresentado aos vereadores.

Na mensagem encaminhada à CMM, o Executivo defende que o plano representa um instrumento legal para o planejamento de ações públicas no campo da mobilidade urbana, visando atender as necessidades da população e do desenvolvimento urbano. “É fundamental que o Município conte com propostas de curto e médio prazo para atender as demandas crescentes de mobilidade, de tal forma que a infraestrutura e os serviços disponíveis não venham a ser um obstáculo ao seu próprio desenvolvimento urbano, social e econômico”, conforme trecho da mensagem.

Das 21 emendas ao PlanMob aprovadas na segunda-feira (21/12), 17 foram dos vereadores, três da sociedade civil e uma da Comissão Especial do Plano de Mobilidade da CMM.

Das oferecidas pela sociedade civil, uma foi do CREA-AM e a outra do geógrafo Marcos Castro Lima, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), que também faz parte do Sistema Confea/CREA e sugeriu arborização nas ciclovias construídas na cidade Manaus. “A ideia de arborização em todas as ciclovias é de minimizar a incidência de raios solares, garantindo com isso proteção e conforto aos ciclistas de Manaus”, justificou o geógrafo.

O presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Amazonas (CREA-AM), engenheiro civil Cláudio Guenka, declarou que a aprovação dessas propostas representa uma importante conquista para os profissionais do Sistema no Estado, pois valoriza as contribuições técnicas dos especialistas da área e demonstra o interesse do Conselho em debater e colaborar para a melhoria da cidade.

 


Presidente do CREA-AM, engenheiro civil Cláudio Guenka, discursa na CMM.

“Trata-se de mais uma grande conquista para o CREA-AM neste 2015, pois valoriza a opinião dos especialistas da área e demonstra o interesse do Conselho em participar dos grandes temas da cidade e do Estado, contribuindo tecnicamente com os projetos que buscam a melhoria e qualidade de vida do cidadão; e continuaremos sempre à disposição para essas ações”, declarou o presidente do CREA-AM, Cláudio Guenka.

Em relação às propostas aprovadas do Conselho e também do geógrafo Marcos Castro Lima, Guenka afirmou que “ambas compatibilizam requisitos necessários para a melhoria da mobilidade urbana da capital amazonense, na consolidação de seu crescimento enquanto metrópole”.

 

Fonte: Crea-AM

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.