Exorbitância profissional cai 90% em 2015

A exorbitância profissional caiu 90% em 2015. A redução reflete que os treinamentos do novo sistema de ART (Anotação de Responsabilidade Técnica), realizados ao longo do ano com os registrados do Crea-ES, alcançaram seu objetivo: conscientizar os profissionais a cadastrarem apenas serviços e atividades que façam parte de sua atribuição profissional.

O novo sistema, criado com a função “Filtro de ART por Títulos Profissionais”, está no ar desde julho deste ano, mas foi apenas no dia 10 de dezembro que o antigo formato saiu do ar. Isso quer dizer que a queda da exorbitância partiu, principalmente, da ética dos profissionais que utilizam o sistema. 

“Agora, com apenas o atual sistema no ar, os profissionais têm somente a opção de selecionar serviços que são inerentes a sua formação. Trabalhamos bem com essa ideia nos treinamentos e é com satisfação que vemos o resultado: 90% a menos de exorbitância”, afirma o Assessor Especial de Projetos do setor de ART do Crea-ES, Marcos Perini. 

Caso um profissional preencha sua Anotação de Responsabilidade Técnica com alguma atividade que não seja competência de sua atribuição, a ART será encaminhada para uma das Câmaras Especializadas do Crea-ES para análise. Se comprovada a exorbitância, o profissional ficará sujeito a Notificação de Autuação de Infração (NAI) gerada pela Unidade de Fiscalização do Crea-ES.

 

Fonte: Crea-ES

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.