Papel dos profissionais, valorização da categoria e mercado de trabalho nortearam homenagens pelo Dia do Engenheiro


No dispositivo de honra da homenagem: Jorge Nei, Joel Krüger, Antônio Albério, Paulo Guimarães e José Margarida

Em solenidade alusiva ao Dia do Engenheiro e em comemoração aos 82 anos do Sistema Confea/Crea – celebrados em 11 de dezembro, lideranças da área tecnológica, reunidas no Plenário do Confea, exaltaram e homenagearam os engenheiros brasileiros. A cerimônia foi promovida durante o terceiro e último dia da Sessão Plenária nº 1421 do Confea, na sexta-feira (11).

No dispositivo de honra estiveram o conselheiro e diretor do Conselho Federal, no exercício da Presidência do Confea, eng. agr. Antônio Carlos Albério, o diretor-presidente da Mútua, eng. civ. Paulo Roberto de Queiroz Guimarães, o presidente do Crea-PR, eng. civ. Joel Krüger, o coordenador do Colégio de Entidades Nacionais (Cden) e presidente da Federação Nacional de Engenharia Mecânica e Industrial (Fenemi), eng. mec. Jorge Nei Brito, e o coordenador nacional da Coordenadoria de Câmaras Especializadas de Geologia e de Engenharia de Minas, eng. de Minas José Margarida da Silva.

Abrindo a solenidade, foram relembrados os profissionais homenageados este ano na 72ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea) pela condecoração Láurea ao Mérito do Sistema Confea/Crea e Mútua, sendo 12 in memoriam – que tiveram seus nomes inscritos no Livro de Mérito – e outros 12 profissionais – laureados com a Medalha do Mérito. Suas fotos foram mostradas no telão do Plenário do Confea.

Homenagens

O diretor-presidente da Mútua parabenizou os engenheiros e ressaltou a importância da união entre as diversas instâncias e entidades representativas e defensoras da Engenharia. “É preciso que todos – profissionais, entidades de classe, Creas, Confea e Mútua – estejamos unidos pelo fortalecimento da Engenharia brasileira. Que possamos cada vez mais praticar o mutualismo e reforçar o lado mais humano e social da Engenharia”, defendeu. Paulo Guimarães ainda falou sobre a trajetória da regulamentação da Engenharia e da criação do Sistema Confea/Crea, salientando sua precursoriedade no tocante à regulamentação profissional no Brasil. A criação da Mútua, que ocorreu 44 anos após a regulamentação da profissão de engenheiro, também foi lembrada pelo presidente da Mútua. “O Sistema Confea/Crea comemorou a promulgação da Lei nº 6.496, de 7 de dezembro de 1977, que autorizou a criação da Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea (Mútua), uma das maiores conquistas dos engenheiros e, também, dos demais profissionais inscritos no Sistema”, apontou.

 

Reforçar as ações de conscientização da sociedade, principalmente os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, sobre a importância da Engenharia para o desenvolvimento do país, foi um dos pontos lembrados pelo conselheiro Antônio Carlos Albério, no exercício da Presidência do Federal. Ex-presidente do Crea-PA, Albério rememorou essa época, ao proferir suas considerações em homenagem aos engenheiros. “Como presidente do Crea pude percorrer todos os locais em que o Conselho atuava. Isso me fez ter ainda mais orgulho de ter escolhido a Engenharia, pois nas viagens ao interior do Pará encontrei profissionais trabalhando em situações precárias e com toda garra e dedicação. A esses colegas, que desempenham seus ofícios dessa forma, todas as nossas homenagens. As homenagens do Confea também ao trabalho dos Creas de fiscalização na defesa dos interesses da sociedade. Nosso reconhecimento aos presidentes de Creas, agentes de fiscalização e inspetores. E em nome daqueles profissionais homenageados pela Láurea ao Mérito com a medalha e inscrição no livro, as homenagens do Confea a todos os engenheiros do país”, ressaltou.

 

Iniciando seu discurso, o presidente do Crea-PR, Joel Krüger, destacou: “Hoje é Dia do Engenheiro e também da Engenheira”, ao saudar a conselheira Michelle Palladino, representando as mulheres da área. “Onde tem engenheiro tem desenvolvimento”, disse ele, afirmando, também, que o Brasil ainda  não alcançou o patamar almejado, mas que a Engenharia está preparada para isso. “Quem constrói uma Itaipú, uma Belo Monte e parques industriais como os que temos, mostra a eficiência e a eficácia de sua Engenharia”, sublinhou.

 

 

 

O coordenador do Cden, Jorge Nei Brito, citou os números do Sistema Confea/Crea e Mútua para reafirmar a relevância dos engenheiros. “Estão inscritos nos Creas de todo o país cerca de 1,3 milhão profissionais e 75% são engenheiros. Hoje, o Brasil demanda 80 mil engenheiros por ano, formamos apenas 43 mil. Temos seis engenheiros para cada 100 mil pessoas economicamente ativas, enquanto que nos Estados Unidos a proporção é de 25 engenheiros para 100 mil habitantes”, ponderou. Segundo ele, a situação de retração que o Brasil vive é o momento em que mais são necessários os esforços da Engenharia. “Todos sabemos que o país precisa da ajuda da Engenharia para crescer”, enfatizou o coordenador do Cden.

 

 

José Margarida, representante das Câmaras Especializadas do Confea, também evidenciou o simbolismo da data. “Hoje, sabemos da magnitude da Engenharia, ofício que contribui tanto para a melhoria da vida das pessoas”, frisou. Margarida citou o nome do primeiro presidente do Confea, engenheiro de Minas Pedro Demostenes Ranche, para exaltar todos os profissionais. “Tantos nomes para serem lembrados hoje, mas cito Ranche por ser profissional da minha categoria. Ele se formou na primeira turma de Engenharia de Minas, tornando-se patrono da área, ajudou a fundar nosso Sistema e foi o primeiro presidente do Confea. Acima de tudo, foi capaz de mostrar como um ser humano pode contribuir com nosso mundo”, evidenciou.

 

 

A Engenharia e os profissionais

Ao final da cerimônia, as lideranças concederam entrevistas ao Confea. A TV Web do Conselho abordou o tema Dia do Engenheiro, enfatizando o lado pessoal dos profissionais. O presidente da Mútua, Paulo Guimarães, conselheiros federais, coordenadores de Câmaras Especializadas, presidentes de Creas e outras lideranças falaram sobre os motivos que os levaram a se tornarem engenheiros e suas memórias da profissão. Veja aqui o depoimento do presidente da Mútua.


Paulo Guimarães, presidente da Mútua, fala sobre a profissão de engenheiro à TV Web do Confea

 

Fonte: Gecom/Mútua

Fotos: Alline Abreu (Gecom/Mútua)

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.