Seca do milênio: saiba o que a Austrália fez para lidar com escassez de água

No final do século XX, os australianos passaram pela Seca do Milênio, que durou mais de 10 anos – de 1997 e 2009 – e afetou todo o país. Sem precedentes, a estiagem fez com que o governo australiano elaborasse novas políticas de gestão da água, além de realizar obras de infraestrutura e incentivar mudança de atitudes públicas
 
A Austrália, país sujeito a secas recorrentes, conhece bem o problema da escassez de água. Seu pior período foi registrado entre 1997 e 2009, conhecido como seca do milênio. A estiagem sem precedentes baixou o nível de alguns reservatórios australianos a apenas 17% de água, um cenário muito parecido, por exemplo, com o de São Paulo. A seca do milênio foi o agente que obrigou o governo australiano a elaborar novas políticas de gestão hídrica, a realizar obras de infraestrutura e também a criar e divulgar campanhas de conscientização por parte da população.
 
Quantificação da água
Quantificar a água foi uma das medidas adotadas durante a estiagem. O governo australiano criou um conjunto de dados nacionalmente coerentes e comparáveis que forneceram uma visão detalhada sobre a gestão dos recursos hídricos do país em escala nacional e regional. A seca do milênio influenciou o desenvolvimento de novas tecnologias de inovação e investigação. Um exemplo disso é o aplicativo Waterstorage, hoje disponível para todos os australianos, que apresenta os níveis de água por cidades.
 
Reutilização da água
Além de construir usinas de dessalinização – processo que transforma a água do mar em potável – e investir em obras que acabaram com vazamentos de água, o governo da Austrália criou sistemas de reutilização da água. Funciona da seguinte forma: a água já utilizada em uma residência é direcionada para reservatórios próprios. Depois de tratada, a água retorna para a casa, onde será utilizada por meio de torneiras especiais. Os moradores podem reutilizar a água em casos onde a água potável não é necessária (descargas dos sanitários, lavagem de carros, regagem de jardins, entre outros).
 
Economia de água dentro de casa
A população australiana também tem sido agente fundamental para economia de água. Durante a seca do milênio, algumas medidas incentivadas pelo governo foram adotadas amplamente pela população:
• Banhos de apenas quatro minutos. As pessoas utilizavam ampulheta para medir o tempo. Atualmente está em desuso porque a população já foi suficientemente treinada para banhos cursos;
• Lavar pratos e outros utensílios em bacias, evitando que torneiras fiquem abertas por muito tempo;
• Compra e utilização de produtos da linha branca, que gastam menos energia elétrica e fazem melhor uso da água. Há um sistema de classificação para este. Também passaram a utilizar o sistema universal Dual Flush, que permite o controle do volume de água a ser utilizado em cada descarga, evitando desperdícios;
• Recolhimento da água da chuva.
 
Sobre a Austrade – A Austrade é a agência de promoção de comércio e investimento do governo australiano. Por meio de uma rede global de escritórios, auxilia as empresas australianas a expandirem seus negócios internacionais, atrai investimentos diretos estrangeiros produtivos para a Austrália e promove o setor educacional da Austrália internacionalmente.

 

Fonte: Brasil Engenharia

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.