Começa hoje o II AgroNordeste, com importantes debates sobre o uso de agrotóxicos

Com o tema ‘Agrotóxicos, Alimentos e Meio Ambiente’, a Associação dos Engenheiros Agrônomos de Sergipe (Aease) e a Confederação dos Engenheiros Agrônomos do Brasil (Confaeab) realizam, a partir desta quarta-feira (11) até a próxima sexta-feira, o II Encontro Regional de Engenheiros Agrônomos do Nordeste (AgroNordeste), em Aracajú (SE). O evento tem o apoio da Mútua, do Confea e do Crea-SE e vai reunir engenheiros e especialistas do estado e de várias regiões do País para debater o uso de agrotóxicos. Desde 2009, o Brasil detém o indesejável título de maior consumidor mundial de agrotóxicos, com uma média de um milhão de toneladas por ano, o equivalente a 5,2 kg de veneno por habitante. A política do uso indiscriminado dessas substâncias no país será o foco das discussões do AgroNordeste. Na ocasião, também será realizado o XI Encontro Estadual de Engenheiros Agrônomos de Sergipe.

Marcando presença na abertura do Encontro, o diretor de Benefícios da Mútua, Jorge Silveira, além de reforçar a parceria da Mútua com as entidades de classe e com as instituições do Sistema e de pontuar a importância da Caixa de Assistência para o desenvolvimento da área tecnológica nacional, estando ao lado dos profissionais, irá somar forças às demais lideranças presentes para enfatizar a relevância da discussão sobre o uso adequado dos agrotóxicos nas lavouras de todo o Brasil.

O presidente do Crea-SE, Arício Resende ressalta a importância do evento, principalmente diante do crescente mercado de agrotóxico no país. “Enquanto nos últimos dez anos o mercado mundial desse setor cresceu 93%, no Brasil esse crescimento foi de 190%”, disse ele, tendo por base dados divulgados pela Anvisa.

Ele também alerta para o impacto dos agrotóxicos na saúde. “É preocupante a contaminação dos produtos agrícolas que pode afetar a saúde humana e animal, além dos impactos que causam no ambiente. Pesquisas divulgadas recentemente mostram que 70% dos alimentos in natura consumidos no Brasil estão contaminados por agrotóxicos”, alerta o presidente do Crea-SE ao frisar que em meio a pressão econômica pelo crescimento da produção agrícola é fundamental discutir o grave problema dos agrotóxicos que ameaça tanto a presente quanto as futuras gerações.  “É importante a participação de toda a sociedade nos debates em torno da política de agrotóxicos e o II AgroNordeste abre o espaço para esta discussão”, afirma.

Além do diretor da Mútua, também participarão da abertura solene, os presidentes do Confea, José Tadeu da Silva, da Aease, Naum de Araújo, da Confaeab, Ângelo Petto Neto, e do Crea-SE, Arício Resende, e representantes dos Creas e do Governo de Sergipe.

O ciclo de debates e palestras tem início amanhã com quatro importantes temas: “O papel do engenheiro agrônomo na produção de alimentos saudáveis”; “Política de agrotóxicos – uso e consequências”; “Comportamento evolutivo da Agroecologia” e “Meio ambiente e produção sustentável.

Confira a programação

 

Fonte: Acme/Mútua (com informações do Crea-SE)

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.