Gestão relacional é tema de palestra dirigida aos colaboradores da Mútua


Colaboradores da Mútua atentos à palestra

O impacto das emoções no ambiente de trabalho e a gestão relacional foram os temas de palestra promovida na manhã desta quinta-feira (22), no auditório da sede da Mútua, em Brasília (DF), para os colaboradores e diretores da Instituição. As palestrantes Maria Eugênia B. Costa, mestre e doutora em educação e consultora na área de comportamento organizacional, e Isabel Stepanski, psicóloga e mestre em Direção de Recursos Humanos, abordaram o assunto com foco central na administração da raiva. “Ter raiva não é algo errado. O importante é saber que essa emoção pode ser trabalhada e controlada”, ponderou Maria Eugênia.

Logo no início da apresentação, os colaboradores assistiram um vídeo de situações reais de pessoas que tiveram surtos de raiva no ambiente de trabalho. “Quem presencia esse tipo de situação, geralmente diz que a pessoa se excedeu por besteira. Mas, na verdade, quando alguém chega a ter uma reação dessas é porque vem ‘guardando’ muita coisa”, analisou a educadora. Eugênia ainda comentou que estudos indicam que a maioria dos desentendimentos no ambiente corporativo é ocasionada por antipatias e não por alguma competência técnica. “Lógico que as competências técnicas são fundamentais, mas hoje observamos que as competências relacionais são ainda mais necessárias”, disse ela.

VEJA AQUI O VÍDEO APRESENTADO NA PALESTRA

Isabel Stepanski, complementando a exposição de Eugênia, falou sobre as emoções e os sinais que nosso corpo transmite em situações de estresse. Segundo a psicóloga, emoções são interpretações das sensações físicas e pensamentos, ou seja, o corpo dá indícios de quando, por exemplo, uma pessoa está com raiva. A respiração, citou ela, é um dos principais fatores fisiológicos da emoção. “Se você tem consciência da emoção que está chegando, porque não mudar o padrão de comportamento? Todas as nossas emoções são legítimas. Como reajo a essa emoção é o que vai fazer a diferença”, disse.  Esse comportamento preventivo ante as emoções e impulsos nada mais é do que o gerenciamento relacional, ponderou.

Afirmar que ‘aquela pessoa ou aquilo nos deixa com raiva’, na visão das duas profissionais, é uma alegação equivocada, pois ficar ou não com raiva é algo interno de cada um. Isabel e Eugênia defendem que a gestão relacional no ambiente de trabalho é muito importante, pois as emoções geram impactos muito prejudiciais na organização, como gargalos nos fluxos produtivos, isolamento das áreas, descumprimento de prazos, comprometimento na disseminação das informações e centralização das ideias e informações. Além disso, a raiva e o estresse refletem na saúde física, mental, social e interpessoal dos indivíduos.

A palestra sobre gestão relacional faz parte de um projeto das duas profissionais, em que elas fazem a apresentação de forma gratuita em empresas e comunidades.

 

Fonte: Acme/Mútua

Fotos: Alline Abreu (Acme/Mútua)

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.