“Acreditamos na recuperação da Ponte Hercílio Luz”, diz presidente do Crea-SC

Carlos Alberto Kita Xavier garante que a contratação da empresa cumpriu todos os requisitos

O presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-SC), Carlos Alberto Kita Xavier, acredita na possibilidade da restauração completa da Ponte Hercílio Luz. Segundo ele, a contratação da empresa Empa – atual responsável pelo erguimento dos pilares de sustentação do cartão-postal – cumpriu todos os requisitos e que a revitalização, quando for concluída, poderá resolver parte dos problemas de mobilidade em Florianópolis. Leia abaixo a entrevista:

Qual a visão que o Crea tem da atual obra emergencial de sustentação da ponte?
O Crea tem a função de fiscalizar o setor. Verificamos que a contratação da empresa cumpriu todos os requisitos. Possui uma equipe técnica fantástica. Estamos acreditando, agora, que as coisas vão acontecer. Os prazos que nos passaram condizem com a realidade da execução, que requer tempo e paciência. Antes de iniciar qualquer trabalho, é preciso um planejamento. A empresa está fazendo todo o dimensionamento desta estrutura provisória e avaliação quanto à eficácia para garantir a segurança do cartão-postal. Saliento também que essa obra pode resolver parte dos problemas de mobilidade em Florianópolis.
 
O senhor acredita na reforma da estrutura?
O conselho de engenharia acredita que nada é impossível. Acreditamos na recuperação, é emblemática, com um vão fantástico de 339 metros livres, única no mundo. Realmente, é um ícone da engenharia. A Hercílio Luz é uma grande obra que se perdura ao longo dos anos. Claro, foi interditada em 1982 e de lá pra cá nunca se apresentou nenhum projeto convincente de restauração. Só recentemente que os projetos foram feitos e licitados para manutenção. O mais importante é ter um projeto executivo que dirá o que deve ser feito e é isso que eles estão fazendo. Isso não aconteceu no passado, mas não por falta de conhecimento da engenharia catarinense e sim por falta de objetivo. Escutamos em vários setores que a desmontagem da ponte seria a solução, mas não acreditamos nisso.
 
E qual sua opinião particular sobre isso?
Ela é muito bonita (risos). Seria um desperdício. Fala-se que com o que foi gasto na ponte poderia ter sido construída outra. Mas pelo investimento que já foi feito, acredito que ela deve permanecer como o símbolo do nosso Estado.
 
Sobre a forma de contratação, dividida em etapas. O que acha disso?  

Existiram vários projetos de recuperação da ponte, e este foi o escolhido. Uma empresa catarinense ganhou antes a licitação (referindo-se à Espaço Aberto), infelizmente não conseguiu cumprir. E a estrutura provisória tem uma validade e prazo de vencimento. Lógico que a empresa americana que está analisando o projeto vai levar isso em consideração tendo em vista que ela já está a um bom tempo de sua utilização. A estrutura está num ambiente muito agressivo e os cuidados precisam ser redobrados. A empresa não vai querer colocar seu nome numa coisa que poderia dar errado.

 

Fonte: Diário Catarinense

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.