Sistema Confea/Crea e Mútua apoia congresso dedicado ao agronegócio da borracha natural


O diretor-geral da Mútua-ES, eng. agr. Douglas Muniz e o diretor da Abeaa, eng. civ. Jairo Souza Junior no estande do Confea no Congresso

Até a próxima sexta-feira (26), o Sistema Confea/Crea e Mútua marca presença no IV Congresso Brasileiro de Heveicultura, que promove intercâmbio científico-tecnológico e de mercado entre os diferentes segmentos e atores que compõem a cadeia produtiva da borracha natural. O evento acontece na cidade de São José do Rio Preto (SP), tradicional polo do setor de borracha do Brasil. A Mútua disponibilizou material de divulgação para entrega aos participantes do Congresso.

Na abertura do congresso, na manhã dessa quarta-feira (24), o Confea esteve representado pelo diretor da Associação Barretense de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Abeaa), eng. civ. Jairo de Souza Machado Júnior. “Estou aqui representando o presidente José Tadeu da Silva e quero parabenizar a realização deste evento, que está vindo em boa hora, em que os heveicultores estão passando por certa dificuldade”, disse, referindo-se à crise pela qual tem passado o segmento produtivo da borracha. Ele lembrou ainda a necessidade de participação do Confea no Congresso. “Representamos os agrônomos, que têm muito a colaborar com a heveicultura”, disse Jairo.


Abertura do evento na manhã desta quarta-feira (24). Engenheiro civil e diretor da Abeaa, Jairo Souza Junior (ao centro), representou o presidente do Confea

Quanto à crise do segmento, segundo dados do setor, desde a década de 50, quando o Brasil se tornou definitivamente um país importador de borracha natural de seringueira, o déficit em relação à produção interna deste produto no mercado interno vem crescendo a cada ano, por falta de planejamento e de uma política proativa com investimentos em novos plantios.

As expectativas atuais apontam que, para o ano 2020, mantendo-se uma taxa de crescimento de consumo entre 3% e 5%, é prevista uma demanda interna de 500 a 600 mil toneladas. E a previsão é de que a produção dificilmente ultrapasse 200 mil toneladas. “É importante que o setor se reúna para traçar soluções. Espero que todos aproveitem bem este evento”, disse o representante do Confea, apontando o congresso como uma oportunidade de promover intercâmbio entre profissionais que trabalham nos diversos setores ligados ao tema, como produtores rurais, empresários, pesquisadores, extensionistas, professores, ambientalistas, estudantes de graduação e pós-graduação, entre outros, na busca de saídas para os desafios existentes no agronegócio da borracha natural.

Nesta linha de interação e divulgação de conhecimentos técnico-científicos e profissionais, o Confea participa do congresso com estande de 12 m². No espaço estão sendo distribuídos para os mais de 200 visitantes publicações que trazem orientações sobre as atividades profissionais, como Código de Ética e a Resolução 1.048/2013. Fôlderes com informações sobre o trabalho desenvolvido pelo Conselho e a 72ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia também compõem o material institucional disponível para o público.

Além da exposição de produtos, serviços e tecnologias, a programação do evento prevê ainda uma série de atividades, como palestras, conferências e painéis.


No estande do Confea, visitantes recebem informações sobre as profissões da área tecnológica

 

Fonte: Confea

Fotos: Confea

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.