Contribuições para superar a crise energética


Representantes do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) e da Associação Brasileira de Engenheiros Eletricistas (ABEE) foram recebidos em audiência, na tarde desta quarta-feira (17), pelo secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia (MME), engenheiro eletricista Luiz Eduardo Barata. Propostas de cooperação técnica entre a entidade, o Conselho e o ministério foram apresentadas, além de um compilado dos projetos de lei da área tecnológica, publicado pelo Confea. 
Ao representar o Confea, o engenheiro eletricista João Oliva, assessor da presidência do Conselho, ratificou o convite apresentado pelo diretor da Abee, Ricardo Nascimento, para que o ministério participe da Semana Oficial da Engenharia e Agronomia, em Fortaleza, no mês de setembro. “As dificuldades enfrentadas pelo ministério ficarão muito mais fáceis de serem superadas diante de propostas qualificadas, que buscaremos tornar realidade”, disse o secretário, agradecendo também o convite. O gerente regional do Centro-Oeste, engenheiro civil Jary de Castro, também participou da audiência.
“Acreditamos que podemos contribuir para o uso eficaz dos recursos energéticos do país. A ABEE tem em seu estatuto, a determinação para trabalhar conjuntamente com os órgãos do governo, em favor do desenvolvimento tecnológico. É o que estamos promovendo, sem custos ao erário”, comentou o presidente da ABEE, Olavo Botelho. Participar do fomento às práticas de eficiência energética; participar das discussões de uma possível ampliação do parque hidráulico nacional; colaborar com o projeto de geração distribuída em Baixa Tensão, utilizando biogás e outras fontes renováveis de energia; apoiar o MME e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em questões que envolvem licitações de concessões de transmissão e geração de energia elétrica e ter representantes nos colegiados que tratam do tema da energia foram as propostas apresentadas.
Ex-presidente da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), Luiz Eduardo Barata demonstrou atenção para as propostas da Associação, que integra o Colégio de Entidades Nacionais do Sistema Confea/Crea e Mútua. Mesma receptividade, anteriormente demonstrada pelo chefe de gabinete do Secretário Executivo, engenheiro eletricista Jarbas Matos, que justificou a ausência do ministro Eduardo Braga, em decorrência de compromissos supervenientes. A audiência também contou com a participação do secretário de Energia Elétrica do ministério, Ildo Grüdtner.
“Até agosto deveremos anunciar um programa de geração distribuída, que dependerá muito da redução de impostos estaduais”, informou Barata, diante de uma das propostas da ABEE, levantada pelo engenheiro eletricista João Oliva, que incluiu a geração de energia em Baixa Tensão com distribuição de excedentes para a rede, em todo o país, como uma das alternativas para enfrentar a crise energética atual. Antes, o secretário-executivo havia manifestado as dificuldades enfrentadas pelo setor, o que exigiu uma ampla revisão de tarifas, e ainda a expectativa de incrementar o parque energético do país, em 2015, na ordem de 6.400 MW. “Em 2016, iremos melhorar esse parque energético ainda mais”, afirmou.

Fonte: Confea

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.