Confea e Ministério do Meio Ambiente debatem fiscalização de planos de manejo florestal


A fiscalização dos planos de manejo florestal, desenvolvida pelos Conselhos Regionais de Engenharia e Agronomia (Creas), deve ser mais efetiva e auxiliar o Ministério do Meio Ambiente na prevenção da exploração indiscriminada dos recursos florestais do País.  O assessor da presidência do Confea, eng. ftal José Demetrius Vieira, debateu a necessidade de reforçar este procedimento com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, durante a cerimônia de premiação do II Prêmio Serviço Florestal Brasileiro em Estudos de Economia e Mercado Florestal, na última quarta-feira (25), na sede da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Comércio (CNTC), em Brasília.
“Ficou estabelecido junto à ministra que essa fiscalização deverá ser efetivamente realizada, para que haja o maior controle e a devida reposição, já previstos pelos projetos de manejo florestal, uma vez que esta é a forma mais eficiente de prevenir que os recursos florestais do país sejam comprometidos”, destaca José Demetrius. Segundo ele, a ministra encaminhou ao diretor-geral do Serviço Florestal Brasileiro (SBF), eng. ftal Deusdará Filho, a tarefa de estabelecer esse diálogo com o Confea.

Prêmio

O Prêmio Serviço Florestal em Estudos de Economia e Mercado Florestal é um estímulo importante à pesquisa, na visão de Izabella Teixeira.  “Espero que novos prêmios venham para o reconhecimento de novos rumos, com trabalhos desafiadores e inquietantes”, afirmou, lembrando que o Código Florestal “é o pilar de uma política de governo preocupada com a segurança jurídica, com uma nova postura de governança que impõe desafios também a Estados e municípios”.
Este ano, a vencedora, na categoria Graduandos, foi Nayra Davi Gondim, com o trabalho “Diagnóstico Preliminar do Perfil do Comércio Virtual de Biojóias”. Na categoria Profissionais, o primeiro lugar ficou com Fagno Tavares de Oliveira, que concorreu com “Desafios do Serviço Florestal de Ecoturismo: Perspectivas de Desenvolvimento nas Florestas Nacionais da Amazônia”. Esta categoria premiou, ainda, no segundo lugar, Diego Armando Silva da Silva e sua “Regulação de Florestas Inequiâneas sob Manejo Florestal Comunitário na Amazônia”, e, na terceira colocação, Zenóbio Abel Gouvea Perelli da Gama e Silva, autor de “Raio Econômico como um Indicativo para a Definição de Concessões Florestais: Um Estudo de Caso no Estado do Acre”. Fernanda Paim Gomes recebeu menção honrosa com o trabalho “Crescimento Econômico e Demanda de Recursos Florestais no Brasil”.
O prêmio recebeu 26 inscrições de trabalhos nas categorias Estudante, Profissional e Estudo de Caso e é uma realização do Serviço Florestal Brasileiro, órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente (MMA), com o objetivo de fomentar o debate econômico sobre o uso produtivo e sustentável das florestas. A ação é realizada em parceria com a Escola de Administração Fazendária (Esaf) e tem o apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Fonte: Confea 

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.