Ordem dos Engenheiros de Portugal e Confea tratam do trânsito profissional entre os dois países

A atuação profissional, principalmente de engenheiros, no Brasil e em Portugal, o chamado trânsito profissional,  foi o tema central tratado no encontro mantido na manhã desta terça-feira (17), entre os integrantes do Grupo de Trabalho Inserção Internacional, do Confea, e o vice-presidente da Ordem dos Engenheiros de Portugal (OEP), José Manuel Pereira Vieira, também presidente da Federação Europeia de Associações Nacionais de Engenheiros (Feani).

Reunidos desde ontem, os integrantes do GT, Edemar Amorim, (coordenador), Julio Fialkoski, na condição de especialista e coordenador adjunto, Juares Samaniego, representante do Colégio de Presidentes, e os especialistas Vinicius Marchese e Jorge Spitalnik, prepararam uma proposta e apresentaram a Vieira, defendendo a elaboração de um acordo entre a OEP e o Confea, viabilizando o trânsito profissional, por meio de um documento a ser emitido pela instituição de cada país, reconhecendo a formação e a concessão de atribuições profissionais de cada interessado.

Destacando que a reciprocidade é a palavra-chave para desencadear o processo que facilite o trânsito profissional, Amorim afirmou que “a ideia é que esses profissionais possam trabalhar tanto no Brasil quanto em Portugal, sem passar pela avaliação do currículo pelas universidades, um trâmite demorado que implica tradução oficial dos currículos e a análise de matérias e cargas horárias estudadas”.

Os integrantes do GT informaram também que a proposta está sendo avaliada pela Comissão de Articulação Institucional do Sistema (Cais) e deverá ser apreciada na próxima sessão plenária, em abril.

Ao considerar a proposta uma “ideia e tanto que sintetiza tudo o que quer a OEP”, Vieira se comprometeu a aguardar a decisão do plenário e afirmou que “decisões simples são as melhores”. Ele ainda se comprometeu a levar as “boas novas” para a Ordem e garantiu: “A reciprocidade será a palavra de ordem em nossas relações. Estamos fazendo um bom trabalho para os nossos associados”.

 

Fonte: Confea

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.