Presidente do Crea-ES: 2015 será um ano de desafios

O presidente do Crea-ES, engenheiro agrônomo Helder Carnielli fez uma avaliação positiva  do ano de 2014 e projetou para 2015 um ano de desafios e realizações. “Estamos animados e confiantes para este novo ano. Não esperamos  facilidades, e  estamos nos organizando para enfrentar as dificuldades do tamanho que vierem. O momento do país recomenda cautela redobrada. Acho que todos vamos passar momentos difíceis, mas quem estiver melhor preparado, sobreviverá melhor” – disse Helder.

Reeleito presidente do Crea-ES com 87% dos votos em 19 de novembro último, ele estará a frente do Conselho por mais três anos, de 2015-2017. A posse seria na próxima semana, mas Helder antecipou-se, reassumiu o mandato que termina e já  foi empossado no último dia 9 de dezembro. A meta para este novo mandato é ampliar o debate com a sociedade, permitindo que o Conselho, além de cumprir sua missão constitucional, possa servir de ferramenta útil ao desenvolvimento regional.

Vitórias

“Para nós, 2014 foi um ano excelente.   A votação que obtivemos demonstrou isto.  Agora, em 2015, vamos executar novos projetos.  Vamos agora estabelecer um canal mais direto com a sociedade. A proposta é cumprir a nossa missão em prol do profissional e das profissões, mas queremos estar presentes na vida do Estado.  O nosso Conselho é um organismo vivo, com muitas contribuições a dar. Desde as reformulações das leis e códigos municipais, as normas e condições locais para  obra e desenvolvimento, até em temas que significam gargalos de infraestrutura.

Neste sentido o presidente lembra o conhecimento gerado pelos grupos de trabalho do Conselho tanto na parte de mobilidade urbana como de suporte ao crescimento social e econômico. Vamos estar presentes nas principais discussões sobre infraestrutura de rodovias, transportes, sistema portuário, dentre outros. É sempre bom lembrar que quase tudo na vida das pessoas, na vida da Cidade e do Estado  passa pela Engenharia.

Presença

A proposta de Helder para o segundo mandato é que o Crea-ES se faça ouvir – e que   promova  os debates necessários à causa do Espírito Santo.  “Acho que o nosso Conselho pode e deve participar mais. Deve estar mais presente. Vamos abrir oportunidades  para discutirmos temas complexos, como os relacionados à segurança alimentar, receituário agronômico, não como uma causa da Agronomia, mas de toda a sociedade” – enfatizou.

O Crea-ES pretende ainda debater  a questão do ensino de nível médio e superior  no que diz respeito às suas áreas de competência. Carnielli pensa que devem sair do conselho proposições e ideias que serão analisadas e executadas por quem de direito. Insatisfeito com a qualidade do ensino na área, com a formação de novos profissionais, ele quer discutir a questão a partir da experiência do Conselho. “E se for o caso, por quê não até propor uma revisão da grade curricular?” – questiona.

Pulverização

Vamos discutir a qualidade e função de muitos cursos criados recentemente, a pulverização das profissões tronco da área tecnológica, como a Engenharia e Agronomia. É possível, na opinião dele, que o debate crie momentaneamente divergências, mas ao final será visto como uma contribuição séria e importante para toda a sociedade, segundo analisa o presidente do Crea-ES.

Em 2014 o Crea-Es consolidou o projeto de interiorização, iniciado em 2012 – e que ainda está em andamento. Em 2015 o novo desafio é inserir o Conselho definitivamente nos grandes debates da sociedade capixaba. Tudo isto ao mesmo em que cumpre sua missão que é a fiscalização do exercício profissional.

 

Fonte: Crea-ES

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.