Comemora-se hoje, 5 de novembro, o Dia do Técnico Agrícola

A data foi escolhida em homenagem ao dia em que foi publicada a Lei 5.524, que criou a profissão

 Como forma de parabenizar esses profissionais, a Mútua destaca a atividade dos técnicos agrícolas, categoria que tanto colabora para o crescimento e desenvolvimento da agricultura e da agropecuária no País.

 Os técnicos agrícolas estão aptos a lidar com as tecnologias voltadas à agroindústria, para o fomento da produção e da logística, seja na agricultura ou agropecuária. Esses profissionais trabalham na gestão dos diferentes processos produtivos e mercadológicos, envolvidos nesse segmento do agronegócio. “Hoje estamos numa fase de pleno emprego, com o mercado de trabalho exigindo e buscando profissionais altamente capacitados. A oferta de cursos técnicos tem aumentado e com uma melhor distribuição no território nacional. As entidades representativas dos técnicos agrícolas no Brasil, em parceria com as instituições de ensino técnico, conseguiram fazer os enquadramentos formativos com a legislação profissional da categoria. Fato esse que nos dá garantias de formação de técnicos ajustados ao mercado de trabalho”, salienta o secretário nacional da Associação dos Técnicos Agrícolas do Brasil (ATA-Brasil) e presidente do Sindicato dos Técnicos Agrícolas do Rio Grande do Sul (SINTARGS ), técnico agrícola Carlos Dinarte Coelho.

 Segundo o dirigente das entidades, existem no País aproximadamente 70 mil técnicos agrícolas registrados nos Creas. Eles estão distribuídos nos diversos segmentos que demandam a força de trabalho desses profissionais, como pesquisa, análise, experimentação, elaboração de projetos e assistência técnica em áreas como as de crédito rural e agroindustrial, topografia rural, impacto ambiental, drenagem e irrigação e muitos outros. Enfim, os técnicos agrícolas estão nas mais variadas atividades do setor, compartilhando o conhecimento técnico que detém.

 Valorização profissional

 Sendo uma categoria de grande importância para a sociedade e para a economia do País, as entidade de classe e o Sistema Confea/Crea e Mútua estão à frente do processo contínuo pela valorização desses profissionais, operando cada instituição em sua esfera de atribuições. “As entidades de classe têm sua importância no Sistema Confea/Crea e Mútua ao levar o posicionamento dos profissionais quanto ao exercício profissional, suas expectativas de valorização das categorias profissionais e das melhorias dos serviços prestados à sociedade”, destaca Coelho. Ele ainda comenta que atualmente as maiores reivindicações da categoria são a manutenção da legislação profissional, o salário mínimo profissional e melhorias no ensino técnico.

 O presidente da ATA-Brasil e do SINTARGS ainda deixou a seguinte mensagem para seus colegas de profissão: “O Brasil passa por mudanças profundas nesse momento, um País imenso que tem o dever de propiciar ao seu povo vida digna com saúde, educação, trabalho, renda. Nesse sentido, temos certeza de que a categoria dos técnicos agrícolas tem se mostrado valorosa e contributiva, elevando a produção agropecuária, tanto em quantidade como em qualidade. O aumento significativo da produtividade passa necessariamente pelo trabalho dos técnicos levando a técnica aos setores produtivos com a garantia da produção em sintonia com o meio ambiente. Parabéns aos técnicos agrícolas!”, finaliza.

 

Fonte: Acme/Mútua

Foto: Arquivo pessoal

Compartilhe essa postagem:

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.